27 de agosto de 2009

Parte 10 – A família.

Pois é, cada um tem a sua, talvez seja complicado imaginar o comportamento de cada uma, principalmente depois que o familiar decidir se submeter à cirurgia. Mas ela é ponto chave e crucial, pois ela será um grande alicerce na vida de cada um.

A minha família é enorme, mas a de casa nem tanto, sou filho único e perdi meu pai quando eu tinha oito anos de idade. Portanto, aqui em casa sou eu e minha mãe, falando dela... Minha mãe teve que aprender também, a se alimentar de maneira melhor, creio que não tenha sido muito difícil, pois ela também estava acima do peso e precisava perder uns kilos, e por incrível que pareça, acabou perdendo também.

Quando falo que a gastroplastia é uma vida de regras e disciplina, falo isto com base no que estou vivenciando, pois estas regras em parte, irão ser aplicadas aos seus familiares também. Ultimamente eu tenho observado bastante o comportamento das pessoas, fico perplexo muitas vezes, principalmente quando vou aos supermercados. Quando sua família define aderir a sua iniciativa, digamos assim, ela irá frequentar outras prateleiras do supermercado com você, ela irá buscar alimentos mais saudáveis, ou seja, com pouco açúcar, gordura ou quase nada. Afinal de contas, a pessoa não precisa ser gastroplastizada para comer comida saudável, já que boa alimentação, todos deveriam ter.

Hoje sou muito observador mesmo, é impressionante constatar a excessiva exposição de alimentos nada saudáveis. Meu médico, o Dr. Jamel, constatou bem um fato. Antigamente nós tínhamos três tipos de biscoitos nas prateleiras, um era o biscoito de maizena, outro era o cream cracker e por fim a bolacha água. Hoje nós temos diversos tipos de biscoitos, um mais calórico que o outro, recheados ou não, de chocolate ou não, com cobertura ou não... Quanto você acha que possuí em calorias, um pacote de biscoito de chocolate recheado? A criançada cai dentro, muitas mães não se preocupam e podem estar ajudando a criar um futuro obeso.

Acho que a alimentação em casa deve mudar mesmo, não adianta fazer comida diferente para você, e os outros continuarem com a “farra do boi”. Aqui em casa por exemplo, abro a geladeira e vejo opções interessantes, isto é, frutas, laticínios “lights” e “diets”, alimentos ricos em fibras etc. Mas onde estão as pizzas, os refrigerantes, doces, sorvetes e as salsichas para o tradicional cachorro-quente do fim de semana? Pois é, estes alimentos não estão mais aqui em casa, mas isto não quer dizer que em determinados momentos, você não possa provar uma coisinha dessas.

O fato é que procuro escolher a opção menos agressiva sempre, se você deseja beber um refrigerante, escolha o de marca "Zero" então, mas não pode ser todo dia, tente variar ao máximo. Vocês acham que eu deixei de gostar de pizza? Claro que não! Adoro! Mas sei que só consigo comer um ou dois pedaços, dependendo da espessura da massa é claro. Antes eu comia uma pizza gigante inteirinha, e ainda bebia um copo de 700 ml de refrigerante comum. É necessário se atentar para a frequência também, pois somente em ocasiões festivas ou jantares procuro experimentar algumas guloseimas.

A família de um obeso também sofre, e com certeza foi consultada antes da grande decisão. Já que apoiou e incentivou, que tal colaborar na prática? Eu por exemplo, em determinadas ocasiões, me pego tendo pequenos atritos com minha mãe, ela ainda não entendeu por completo o funcionamento disto tudo. Já criei até as minhas regras, e a primeira delas é nunca deixar outra pessoa colocar comida no prato para você.

Minha mãe sempre acha que estou comendo pouco, mas ela não faz a conta do dia inteiro, o grande erro da vida dela foi não ter imposto limites quando eu era criança. Mas eu entendo o motivo, acho que pela infância sofrida dela, com comida racionada e má alimentação. Quando cresceu, ela optou pela teoria que criança feliz, era criança de barriga cheia.

Acostumar a família as novas rotinas não é fácil, imagino que nas que são grandes seja mais difícil ainda. Minha dica é tentar criar o hábito positivo em casa, ou seja, envolver todos, desta forma todos poderão levar uma vida mais saudável.

2 comentários:

  1. Com certeza a família é fundamental.
    Aqui em casa todos são homens,vc já viu,eu modesto a parte cozinho bem,faço aquelas pizzas com a borda de catupiry,o bolo era confeitado,enfim uma vida desregrada,mas com a ajuda da minha família estou conseguindo me manter no peso.

    ResponderExcluir
  2. Meu amorzinho Parabéns pela sua vitória!!!!Estou muito feliz por vc.Mas tenho que deixar aqui no seu blog registrado,que independente de como seja sua aparencia,eu sei quem é o Luis henrique,o quanto é uma pessoa de bom coração,boa índole,amigo,extremamente companheiro,VC é TUDO DE bom!!!SUCESSO.vC MERECE ISSO E MUITO MAIS

    ResponderExcluir