24 de setembro de 2009

Parte 18 - Eu te conheço?

Olá pessoal!

Depois de um ano muita coisa mudou, para muito melhor é claro, mas continuo passando por experiências novas nesta nova fase da vida. Falo de comportamento, tanto meu, quanto das pessoas que me cercam, ou das que estiveram por perto, e por uma “travessura” do destino, acabaram se afastando.

Ultimamente as abordagens tem sido curiosas, eu não diria que acho estranho, mas diria no mínimo impressionante. A reação das pessoas que não me vêem há algum tempo, não só tem massageado muito o meu ego, mas também tem me assustado em alguns momentos.

No último domingo, no final da tarde, resolvi ir para um dos lugares que eu mais gosto, o Maracanã, fui assistir o meu time do coração e ainda levei minha mãe comigo. Diante de 50 mil pessoas, se você for um frequentador do lugar, e de fato eu realmente eu sou, é óbvio que você encontrará com algum conhecido.

Foi exatamente isto que aconteceu, comprei meu ingresso, e desta vez de cadeira, pois prefiro a arquibancada pra sentir mais emoção (Neguinho da Beija - Flor)... Entrei e sentei nas cadeiras azuis com a minha mãe, e fiquei olhando para um lado e para o outro, de forma despretensiosa, procurando por algum colega.

O fato é que você poderá ser abordado sim, por um amigo ou colega, mas esta situação só tem acontecido com as pessoas que me conhecem a pouco tempo, ou que participaram do processo de emagrecimento de um tempo para cá.

De repente avistei um amigo! Um amigo que não encontrava desde 1999, dos meus tempos de mercado segurador, quando eu trabalhava numa grande seguradora do Mercado. Pedi licença a minha genitora e fui lá falar com ele. O cara era meu camarada de verdade, sentávamos um do lado do outro, e o que não faltaria era assunto naquele momento. Pois bem, eu o abordei:

- Grande Antonio! Caramba! Quanto tempo meu amigo!

Esperava uma reação idêntica por parte dele, mas não, o cara estava estarrecido e totalmente frio. A princípio estranhei, mas continuei levando o papo a diante e puxando assunto, pois faltava muito para o jogo começar, tinha tempo de sobra para um bom papo. Conversamos por meia hora, falamos de pessoas conhecidas em comum, falamos do jogo, do antigo trabalho de ambos, e nada do amigo ficar à vontade.

Depois de mais de meia hora, foi que ele parou a conversa e disse:

- Caramba! Eu não acredito - Abrindo um sorriso. É você Luis Henrique? Caramba! O que foi que você fez? Vou te confessar que só agora eu sei quem é você, e por isso eu estava aqui desconfiado e tudo.

Depois disso foi uma gargalhada só, falamos mais um pouco, contei o que havia acontecido e me despedi, pois o jogo já iria começar. Fui ao encontro da minha mãe, e chegando lá contei a experiência.

Depois de assistirmos a vitória do Mengão, voltamos para casa, mas de noite ao cair da noite, coloquei a cabeça no travesseiro fiquei pensando em tudo... Fiquei imaginando esta reação das pessoas, e por mais que eu tenha curtido muito da minha vida mesmo sendo obeso, acho que agora eu realmente seja uma pessoa nova, isto é, que começou a nascer aos 33 anos de idade, e tendo uma vida toda pela frente de novas experiências. Eu penso que o importante é ter agora equilíbrio emocional, pois a quantidade de elogios podem te levar a um falta de identificação com o seu “eu”, e este equilíbrio, eu procuro renová-lo todos os dias.

2 comentários:

  1. amigo
    adooooooro
    show de bola essas reações das pessoas
    rsrsrsrsr
    adooooooro
    bjus
    Helinda

    ResponderExcluir
  2. RSRSRSRSRS.
    Hilário!!
    Como pode não é ele demorou meia hora pra te reconhecer,deve ter sido mesmo engraçado.Mas eu vendo sua foto antes e depois,vc tá diferente pra caramba.Olha votei em vc na comunidade porque vc nos estimula a continuar a lutar.
    Bjo grande meu amigo.
    Cíntia martins

    ResponderExcluir