2 de outubro de 2009

Parte 20 - Tamanhos Especiais?


Vida de obeso não é fácil, comprar roupa então nem se fala, é muita dificuldade, constrangimento e falta de opção. Confesso que eu tinha medo de comprar roupa, pois nada estava servindo, e, além disso, eu não aceitava que tinha que comprar roupas em lojas de tamanhos especiais.

Por várias vezes, as minhas visitas ao shopping para comprar roupas, tinham um desfecho traumatizante. Eu entrava em lojas de moda jovem, paquerava a vitrine e quando procurava pelo GG... Pois é, e não achava mesmo, a vendedora já me olhava com a cara de “perdi a venda, não tem o número dele”. Eu fazia de tudo para não entrar na loja, pois eu sabia que existia um rodízio no atendimento, a pessoa perdia a sua vez e consequentemente a oportunidade de vender para alguém de corpo normal. Ficava chateada tanto quanto eu, e com toda a razão, por isso que eu só entrava na loja, quando eu realmente sabia que ia encontrar alguma coisa.

Mas a grande maioria, ou seja, em torno de 80%, não tinha o meu manequim mesmo, eu não achava o meu número. Recordo-me que certa vez, quando entrei nas Lojas Renner e fui procurar uma blusa social, olhei para o GG que estava pendurado na arara, e tive a nítida impressão que eu realmente era uma baleia, eu virei a blusa para um lado, virei para o outro, e nem o braço entrava. Um vendedor que estava perto virou-se e disse:

- Não esquenta não amigo! Essa marca de roupa ai só faz blusa para pagodeiro. Na hora eu não entendi, mas ele explicou! – Você não sabia? Os pagodeiros só usam camisa “mamãe estou fortinho”, vai ser difícil de você encontrar alguma coisa hoje.

Eu me sentia muito mal com essa situação, me sentia um saco de batatas vagando pelo shopping, mas era uma realidade, só que aceitar é que era difícil e por mais bem vestido que eu poderia estar, não me sentia bonito e atraente. Se sentir bonito todo mundo quer, e eu nunca deixei de ser vaidoso, apesar de ser jovem, acabava usando umas roupas que me deixavam muito mais velho, era falta de opção mesmo, a calça jeans por exemplo, era um acessório que não fazia mais parte da minha vida, eu não comprava uma calça dessas a pelo menos uns 7 anos.

Blusas de malha sempre marcavam a minha barriga, eu ficava esticando cada uma delas, puxava com raiva mesmo, puxava até esgarçar a gola se possível. E os “seios”? Se não eram seios eram o que? Minhas mamas pareciam seios de moça mesmo, eu tinha muita vergonha das mamas, volta e meia eu me recordava um pouco da minha adolescência, quando gente da minha própria família, não a de casa, mas primos, primas, tios e tias, me diziam em tom de “brincadeira”, quando é que eu iria comprar meu primeiro sutiã.

Esta semana agora sai para comprar roupa, na verdade umas duas blusas, para usar com terno mesmo. Andando pela rua, logo dei de cara com uma loja de tamanhos especiais, é fácil identificá-las, basta olhar aquele boneco grande, isto é, explicando melhor, falo do manequim obeso que eles colocam logo na frente, com o seguinte slogan:

Temos tamanhos especiais!

Nossa! Veio logo um filme na minha cabeça, de tudo o que eu passei na minha vida. Dor, sofrimento e constrangimento, são coisas que eu não vou esquecer nunca mais, confesso que é o que me mantêm focado.

Parei na frente da loja e veio o vendedor falando:

- Bom dia senhor! Posso ajudá-lo?

Eu fitei o jovem nos olhos e disse:

- Acho que não meu jovem! Só posso te dizer uma coisa, eu nunca mais quero usar uma calça desse tamanho, pois um dia eu tive que vestir o número 54 e hoje eu visto 38 ou 40, dependendo do corte ou do fabricante.

Saí de lá e fiquei pensando... Tamanhos especiais? Fala Sério! Tamanho especial é o que eu uso agora.


Um comentário:

  1. Muito legal a sua colocação sobre"tamanhos especiais, vaidade,roupas"! Eu, quando gorda tinha um estilo: Sempre de saião tipo cigana e camisão. Comprava quase sempre na mesma loja e lá era tratada como rainha porque as roupas eram caríssimas e eu comprava saias de todas as cores!!! Era nadadora e precisava mandar fazer o maiô no meu tamanho! Outras roupas tipo shorts, jeans..nem me arriscava! Bem "eliminei" 74 kg, e passei pela fase de comprar de tudo rsrs andei um tempo sem"estilo" até que um amigo meu me disse quando me viu de saia curta e roupa justa: Eneida, essa não é você: e tocou no ponto, não era eu mesma! O que eu fiz? Fui para costureira e trnasformei as sais em vestidos, uma saia era praticamente dividida no meio... e as pessoas passaram a dizer: Hoje você está totalmente Eneida!!! Mas o engraçado e que quando saio com amigas mulheres elas falam :Compra este vestidinho, ele agora serve em você! Sim eu sei que serve mas não é o meu estilo, entendeu.. Gosto de saião, salto, sandália...Sei que posso usar legging, tenis, camisetas justas, mas não é a minha praia!!
    Posso ter emagrecido pacas, mas não perdi o bom senso, sei quem sou eu e hoje sei que andei um tempo "deslumbrada", resultado: quase tudo que comprei neste periodo passei adiante, até para aquelas amigas que me fizeram comprar...rsrsrs
    Mas Luiz, admiro sua coragem de postar no seu blog suas verdades!Muito legal!

    Não poderei ir de novo esta semana, mas desejo excelente caminhada com Saúde Sempre!
    Eneida

    ResponderExcluir