21 de dezembro de 2009

Parte 23 - Influências positivas.


Hoje irei falar de dois personagens, que são bem recentes na minha vida. Falo mais precisamente da Quenia, e do Leandro Zeus, ambos estão sempre comigo fazendo atividades.

Estou muito orgulhoso desses dois, aliás, de todos, mas hoje quero começar falando desses dois amigos em especial, e irei explicar o porquê desse meu orgulho.

Quando conheci os dois, cerca de três meses atrás, ambos eram recém-operados, e me lembro que com um mês, a Quênia estava afim de fazer uma caminhada pela Floresta da Tijuca. Marcamos, reunimos o grupo, mas infelizmente choveu nesse dia, mas mesmo assim ainda demos uma volta básica pela Floresta da Tijuca. Confesso que fiquei surpreendido, não só com a vontade da menina, mas também pelo o seu estado fisíco. Eu achava que estava muito cedo, mas não posso avaliar a condição de cada um, eu respeito muito isso.

Pois bem, tempos depois fizemos a primeira trilha, evento grande, na Pedra Bonita, lugar lindo e com um nível de dificuldade relativamente tranquilo. Fiquei no pelotão de trás, ao lado da Quenia, Glória e da Titha. A Quenia cansou bem, a pressão subiu, ficou com o rosto vermelho, enfim, estava dificil, paramos algumas vezes, mas com bastante vontade ela conseguiu subir.

Passamos um dia muito bom, tiramos umas fotos bacanas, lanchamos, papeamos etc. Foi um dia maravilhoso, muito agradável mesmo.

O Leandro eu o conheci na trilha do Morro da Urca, ele não subiu a trilha, fez apenas a caminhada na pista Claudio Coutinho, era um muito cedo para encarar, e também foi uma decisão pessoal dele. Só que logo depois, me surpreendi ao vê-lo inscrito na Trilha da Praia do Perigoso. Achei o máximo, e devagar o cara chegou lá!

Mas sabem porque eu estou contando isso tudo?

Simples! Os resultados estão começando a aparecer.

Neste final de semana, decidimos fazer a Pedra Bonita novamente, para o Leandro era novidade, mas para a Quenia não, ela já tinha feito, mas nas condições relatas anteriormente.

E o resultado? Eu diria sensacional, talvez este seja o termo que melhor se aplica. Ambos estão com outro condicionamento físico, subiram e nem pararam, nem reclamaram, chegaram no topo muito bem, e sem estarem ofegantes.

- Leandro relatou bem - Poxa! Quem diria que eu ia estar um dia...

Não tem preço ouvir isso!

Parabéns a todos, vocês são sensacionais. Continuem assim, pois o céu é o limite.

Abraços.

2 comentários:

  1. Ehh irmão!! agradeço a vc a força sempre!! e realmente não tem preço!!!

    quem diria q eu q a alguns meses estava com 153kg e não chegava na esquina de casa....estava no topo de uma trilha! com um visual daqueles!!
    felicidade absurda!!!

    obrigado mesmo pela força sempre cara!!!

    abçssss

    ResponderExcluir
  2. Luis,

    Ler isso e constatar que é uma realidde não tem preço.

    A alguns meses não conseguia ir a esquina da rua porque sentia dores... Hoje faço trilha! Quem me viu, quem me vê...rs

    Obrigada pelo apoio, pelo incentivo e pela paciência que sempre tem comigo.

    Ainda temos muitas trilhas e atividades pela frente.

    E ano que vem, todos na corrida!!!

    Bjssssssss

    ResponderExcluir