31 de dezembro de 2010

Parte 46 - O prazer de tirar fotos.






Gente!

Como era chato tirar fotografias, ou era só de rosto, ou nada feito! Tenho muito orgulho agora de poder ficar tranquilo diante das lentes, de curtir algo que sempre gostei, mas tinha vergonha.

Curto pra caramba isso!

Enfim!

Feliz 2011 com muitas fotos pela frente!

Abraços.

LH Marques.

22 de dezembro de 2010

Rio TV Câmara Canal - 12 da NET dia 27/12 - ao vivo.

Olha ai turma.

Divulgação CUIDADO COM O CORPO, CUIDADO COM A OBESIDADE"

Eu LH Marques sou convidado no debate no tema acima na Rio TV Câmara Canal - 12 da NET dia 27/12 - 17 horas (ao vivo).

Participantes:

Luis Henrique Marques (ex-obeso mórbido), Wânia Monteiro (Instituto de Nutrição da UFRJ) e Rosemere Lima da Silva (Representante do Grupo de Resgate à Auto-Estima e Cidadania do Obeso). Representante do IBGE, bem como da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Não percam!

Abraços.

LH Marques.

Parte 45 - Vamos pedalar?




Pessoal! Vamos pedalar?

Estou redescobrindo um grande prazer da infância, ou seja, andar de bicicleta. Quando eu era criança, meu falecido pai, era um dos grandes incentivadores do uso da bicicleta. Com o tempo, por causa da obesidade, após algumas tentativas frustradas, eu acabei abandonando esta atividade. Sinceramente, só eu sentia na pele o quanto era difícil fazer força, para carregar aquela massa corporal que eu tinha.

Pois bem, agora resolvi comprar um a bicicleta nova e retomar esta grande paixão de anos atrás. Após duas semanas, o que eu tenho a relatar de diferença, é que achei a bicicleta bem mais leve! O que? Mais leve? Não! Não é a bicicleta! Eu é que estou bem mais leve, a bicicleta antiga não era pesada, eu é que de alguma forma, acabava fazendo esta associação, como não havia caído a ficha ainda, eu não parava para pensar no meu peso sobre a bicicleta. Pensando nisto agora, eu acho até engraçado.

Este final de semana, eu pedalei cerca de 50 Km, e estou fazendo altos planos para esta atividade. Vamos ver no que vai dar! Espero poder fazer altos passeios e reunir um grande grupo de pessoas para esta atividade.

Abraços.

Luis Henrique Marques.

11 de novembro de 2010

Parte 44: Inicia-se mais um ciclo vital.


Olá pessoal! Ando sumido não é mesmo? Pois é! É o trabalho, os projetos novos e muitas outras coisas.

Estou aqui para contar mais uma etapa, que se iniciou na minha vida, mas antes disso, vamos falar brevemente sobre Ciclo Vital. Vocês sabem o que é um ciclo vital?

O ciclo vital é o conjunto das fases da vida onde é suposto realizar-se uma série de transições e de superar uma série de provas e de crises. Este ciclo desenvolve-se através de um processo de socialização e de endoculturação, mediante os quais, em contacto com outros seres humanos e através da educação, uma criança passa de um modo gradual por diferentes idades e status, como ser capaz e consciente nas formas de uma cultura, até enfrentar a morte como a conclusão de sua existência pessoal. Os indivíduos passam por diferentes etapas do ciclo de vida: a infância, a juventude, a maturidade, a velhice. A importância da idade ou do grupo de idades sempre foi elementar para a identificação social, juntamente com o sexo. Ao contrário deste, a idade vai-se modificando ao longo do tempo e é essa modificação, concretizada em ciclos de vida, que determina estatutos e funções diferentes para os indivíduos.

Pois bem, o que interessa aqui é o seguinte, começei mais uma etapa nesse processo todo de mudança de vida, entre alguns novos objetivos traçados, venho destacar para vocês,que começei a fazer um trabalho de ganho de massa muscular.
Isto mesmo! Estou na musculação, e pretendo a partir de agora, desenvolver a massa magra, e até mesmo ganhar peso, e ajudar na proteção das articulações e no ganho de força.

Estou muito feliz com esse novo objetivo, espero que depois de alguns meses, eu possa mostrar mais resultados satisfatórios.

Viva a gastroplastia que me deu uma nova oportunidade de vida.


Abraços.

Luis Henrique Marques.

19 de setembro de 2010

Parte 43: Dois anos hoje.


Pois é, passa rapidinho, dois anos hoje!

Parando para fazer um rápido balanço, muita coisa mudou, criei uma verdadeira relação íntima com meu pequeno estômago, e vejo que a cada dia que se passa, eu me acostumo mais com essa nova vida que eu ganhei.

Não irei me alongar com o "antes', até porque todos nós aqui sabemos, quais eram as dificuldades por ser bem acima do peso. Após perder cerca de 60 Kg, vejo a minha vida muito melhor em todas as esferas. Na esfera social, a dificuldade de relacionamento que eu tinha, vejo que foi superada, pois as pessoas passam a lhe observar de uma outra maneira, ou seja, como uma pessoa normal, já que no mundo atual, a cobrança e os padrões de beleza e estética da sociedade são grandes.

Não existe mais aquele negócio da loja "escolher" você, agora é você quem escolhe as suas roupas de acordo com o seu gosto. A distorção alimentar foi corrigida, agora a preferência é sempre pelos alimentos nutritivos e saudáveis. A vida íntima e o desempenho sexual é outro, particularmente me sinto muito bem, quando tenho uma resposta positiva da parceira. A relação no trabalho, que antes era uma das coisas que mais me incomodava, hoje tornou-se outra, tudo fica melhor quando as pessoas não lhe enxergam como um ser lento e vagaroso nas atividades laborativas.

O esporte voltou a ter graça, nada de horas intermináveis na academia sem resultado, já que a alta ingestão calórica, prejudicava todo o trabalho realizado de perda peso. Icorporei novos esportes, participo de provas de corrida, faço montanhismo, criei uma euipe de trekking, enfim, incorporei vida ao meu cotidiano.

De quebra, para fechar com chave de ouro, ainda arrumei um monte de amigos legais, companheiros fiéis de luta contra a obesidade. Até mesmo amizades na minha equipe médica eu fiz, os Drs. Claudio Jamel, Leonardo de Castro, Isaac Levy e Ednalda, que eu serei eternamente agradecido, e muitos outros aqui na comunidade, também carinhosamente chamada de turma do grampo.

Saudações.

11 de setembro de 2010

Parte 42 - Novos planos!


Falta pouco para dois anos, e posso garantir a vocês, que a fome voltou mesmo, uau! E agora? Tranquilo! O lance é manter os horários, mas é claro que rola uma beliscada, mas não é um hábito, estou sempre procurando me alimentar bem, e nunca troco a refeição principal por um "lanchinho". Acho que o grande segredo, é não deixar de fazer atividades físicas também, elas são fundamentais no tratamento contra a obesidade.

Com a obesidade sob controle, muita coisa mudou na minha vida, percebo que até as atitudes são outras, não sei se estou certo ou errado, mas é o que eu sinto, muitas descobertas, muita energia, muita vontade de viver e muitos planos!


E aproveitando esse gancho, não poderia deixar de abrir um post, e falar dos meus novos planos e trabalho, e que acabou surgindo, muito por conta do emagrecimento. Estou falando do meu projeto EQUIPE A CONQUISTA - TRILHAS & MOVIMENTO, pois de de agora em diante, estou investindo no seguimento de esportes e turismo de aventura.


Recentemente, me matriculei na Escola Técnica de Turismo, e estou estudando para obter meu certificado junto a Embratur. Estou providenciando também, o meu registro na Federação de Montanhismo do Rio de Janeiro, mas enfim... Por que isto está sendo possível? Simples! Esse sonhos estão se realizando porque eu emagreci!
E para você que está aí nessa luta, garanto a você que, com o emagrecimento, muitas portas e oportunidades surgem na sua vida. Basta saber aproveitá-las.

Saudações!

30 de agosto de 2010

Reportagem: LH Marques, criador da Equipe A Conquista, conta suas aventuras desde os tempos da obesidade na Revista Aventura & Ação.



Não deixem de comprar a Revista Aventura & Ação, edição 159, que sai agora no mês de setembro em todo o Brasil. A reportagem chama-se "Aventura de peso", e fala das minhas aventuras nos tempos da obesidade. A matéria mostra também, como decidi emagrecer para mudar de vida, e como surgiu a motivação, para a criação da Equipe A Conquista - Trilhas & Movimento.

21 de agosto de 2010

Parte 41 - O melhor "antes e depois" da minha vida.


Olá Pessoal!

Ontem eu estive nada mais, nada menos, ao lado do meu maior ídolo do futebol, o Zico! Foi sensacional e emocionante! Eu estava perseguindo o Zico fazia 1 ano, e vou contar o porquê disso tudo. Quando eu estive com ele pela última vez, eu ainda era gordo, e aqui em casa, eu tenho um texto, que eu escrevi, e que por sinal, ontem dei de presente a ele, onde junto a esse texto, tem uma fotografia desse último encontro. Só que como falei anteriormente, eu estava obeso, e bem diferente de hoje, e confesso que me incomodava muito olhar aquela foto, não por ele é claro, mas por mim, não parece mais eu, e por isso, eu botei na cabeça, que eu tinha que tirar uma foto nova. Graças a Deus, ontem eu consegui, estive com ele e até papeamos um pouco, onde eu tive a oportunidade de explicar o motivo, e cheguei até mostrar a foto e tudo.

Abaixo, segue o texto ao qual me referi.

_____________________________


Quando tudo começou.

Tudo começou no ano de 1980... Naquela época, o Flamengo estava começando a formar uma verdadeira máquina de ganhar títulos.
O meu interesse não só pelo Flamengo, mas também pelo futebol, se deu por causa de um personagem, o meu Pai. Meu pai se chamava Paulo Afonso e era Rubro - Negro de carteirinha; me levava aos jogos não só aos domingos, mas também as quartas – feiras. E assistindo aqueles espetáculos, pude entender a magia que cercava aquela equipe, pois eu me questiono até hoje:
- Meu deus! Que futebol era aquele praticado por Zico e companhia?
Aquela equipe merecia uma estátua em praça pública, pois eles eram especialistas na arte de jogar futebol.

Com o passar do tempo, o meu amor pelo clube foi crescendo... Não perdia um jogo sequer e, mesmo sendo criança, cheguei a recusar um convite para assistir a chegada do Papai Noel no Maracanã, pois eu achava muito mais graça assistir ao Flamengo do Zico, junto do meu amado pai, é claro.

Sou filho único e morava em São Cristovão e, acho que pela proximidade do bairro ao Maracanã, fazia com que eu e meu pai não perdêssemos uma partida sequer. Minha mãe morria de medo, pois voltávamos sempre a pé e de noite pela Quinta da Boa Vista, tudo escuro e deserto, mas sem perigo ou quem sabe pouco, pois o Rio de Janeiro era diferente naquela época.

Tenho boas recordações do 1° Campeonato Brasileiro do Flamengo, consequentemente da Copa Libertadores da América e do Mundial Interclubes. Em todos os títulos fazíamos festa; as comemorações eram sempre na casa da minha avó, aos Domingos, e com a presença dos meus tios Pedro e Manoel Afonso, este último, já falecido, mas todos flamenguistas apaixonados. Na casa da minha avó aconteciam também os debates e resenhas esportivas, sempre depois do almoço e, claro, era uma grande diversão, a alegria estava sempre estampada na face dos meus tios e do meu pai.

Mas foi em 1983 que minha vida começava a mudar, de uma maneira inesperada, e que me marcaria para sempre. Eu já não estava morando mais em São Cristovão, estava morando para as bandas de Niterói quando, no dia 22 de maio de 1983, o Flamengo disputava contra o Santos, a final do Campeonato Brasileiro daquele ano. No primeiro jogo só deu Santos, o time do litoral paulista foi melhor, e fez 2 a 0 com tranquilidade. Baltazar, o "Artilheiro de Deus", contratado para substituir Nunes, ainda conseguiu um gol que diminuiu a vantagem do Santos. Quando o jogo acabou, meu pai olhou nos meus olhos e disse:

- Filho! Não esquenta! Na outra semana estaremos lá no Maracanã e o nosso Mengão certamente será campeão. Nós temos o Zico!

No dia seguinte, 23 de maio de 1983, aconteceu o inesperado: meu pai acordou, me deu um beijo e um até logo e foi trabalhar. Assisti meu pai entrando no Passat TS dele, todo de terno e gravata, com a pastinha dele estilo 007 na mão, indo embora para o serviço. Minha mãe também se despediu e foi cuidar de me levar ao colégio. Passei uma manhã estranha, como se alguém estivesse ao meu lado, me tocando e me abraçando, não sabia explicar o que estava acontecendo. Acabou a aula e fui correndo para casa, e ao chegar, fui surpreendido com minha mãe me dizendo, que também se sentiu por diversas vezes abraçada. Mas não demos muita atenção para isso, só que logo depois chegou a notícia triste.

Meu pai, meu herói e responsável por ter me dado o prazer de ver aquele Flamengo do Zico, com 39 anos de idade, havia falecido naquela manhã de um infarto fulminante do miocárdio. Ele estava prestes a entrar nas barcas Rio - Niterói, quando caiu e não se levantou mais.

Quando soube de tudo, foi como se o mundo tivesse acabado, pensei logo a falta que ele faria, não poderíamos mais ir juntos aos jogos, não poderíamos andar de bicicleta, não poderíamos jogar bola, não poderíamos fazer mais nada, eu tinha perdido o meu amado pai. Passei aquela semana perdido junto com minha mãe que, por sinal, estava em piores condições do que eu. Hoje eu penso que deixei de ser criança naquele momento.

No Domingo seguinte, veio o segundo jogo da final do Campeonato Brasileiro, dia 29 de maio de 1983, com o Maracanã lotado, com um público de 155.253 pagantes que acompanhou uma aula de futebol do Zico e companhia. Não fui ao jogo por motivos óbvios, mas não pude deixar de acompanhar aquela decisão. De alguma forma, associei de todas as maneiras o Flamengo e o seu grande ídolo, o Zico, ao meu pai, pois, estar perto, assistir e acompanhar, era como se estivesse ao lado do meu pai e herói.

Aquela equipe cumpriu com a sua obrigação e meu pai estava certo, o Flamengo se sagrou campeão Brasileiro pela terceira vez em quatro anos. O verdadeiro Flamengo Tricampeão Brasileiro, com um show dele, o craque Zico que sempre será o maior jogador que eu tive a oportunidade de assistir jogar. De alguma forma fiquei feliz no meu coração, alguma coisa me trouxe conforto e imaginei que mesmo no céu, meu pai estaria plenamente feliz.

Desse dia pra cá, o meu amor pelo Flamengo e Zico só aumentou, jurei que acompanharia o Flamengo até os meus últimos dias de vida, e jurei que um dia, iria contar essa história para o próprio Zico. Ao receber o convite do amigo Moraes, para encontrar com o meu ídolo, não pude deixar de escapar a chance de estar ao lado de uma pessoa que representava muito para o meu pai e, consequentemente, pra mim.

Foi um dos momentos mais emocionantes de toda a minha vida. Fiquei mais feliz do que minha própria formatura na faculdade! Pensei:

- Dia 28 de maio de 2008, prestes a completar 25 anos do dia do meu juramento...

O mais incrível são essas coincidências de datas, mas sendo ou não, foi um dos dias mais felizes da minha vida e gostaria de agradecer e muito ao amigo Moraes por esta oportunidade e, de alguma forma pude sentir o meu pai ao meu lado.

Essa é a minha história de amor, entre personagens que fizeram e ainda fazem parte da minha vida: o meu pai, Paulo Afonso, o Flamengo e o Sr. Arthur Antunes Coimbra, o Zico.

Luis Henrique Marques.
"Flamengo até morrer"!

8 de agosto de 2010

Parte 40 - Ex-obesos e suas aventuras.


Pedra do Sino

Eu estava pesquisando em revistas, sites e conversando com amigos, sobre alguns destinos de aventura aqui no Rio de Janeiro. Em abril de 2010, por intermédio da Mel e da Vivi, isto é, Maria Elisa e Vivian, respectivamente, amizades que fiz recentemente, acabei sendo convidado a subir a Pedra do Sino, pois ambas já tinham ido lá, e acabei ficando entusiasmado pelo relato das duas.

A Pedra do Sino, com 2.275 metros de altitude, é o ponto culminante do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, que fica na cidade de Teresópolis, aproximadamente 70 km da cidade do Rio de Janeiro. Não tive dúvidas, pensei que seria desafiador realizar esta aventura, foi então que decidi formar um grupo, liguei para uns amigos, pois eu queria agrupar alguns ex-obesos para tal trekking. Conversei com os meus amigos Marcos Henrique, Tulio Bambino, Juliana Passos, Leandro Zeus e sua namorada Flávia Fontenelle, fizemos todos os preparativos, organizamos a logística da viagem e marcamos a data.

Nosso grupo era de 11 pessoas, no qual 6 dos participantes, se juntassem o peso perdido, dariam mais de 400Kg, parando para pensar, um número impressionante não? Cada um está num estágio da vida, e um com mais tempo que o outro de cirurgia, alguns como apenas 5 meses, que é o caso do Leandro, que meses atrás, mal conseguia ir na esquina de casa, e agora estava ali para encarar 5 horas de subida até o Sino.

Nosso grupo começou a todo vapor, logo se formou o pelotão da frente, e puxado por uma locomotiva chamada Tulio Bambino, que já jogou pelo ralo um torno de 100 quilos, o Tulio era um mega obeso, e vê-lo equipado e praticando tal esporte, me deixa bastante orgulhoso. Com algumas horas de caminhada, o grupo se dividiu, o Tulio que estava na frente, disparou numa tocada impressionante, eu poderia ter feito o mesmo, mas fiquei atento as pessoas que estavam um pouco mais para trás, eu ficava subindo e descendo correndo, queria dar força e motivar o grupo de trás, eu sabia que não seria fácil, mas em nenhum momento eu deixo de incentivar, dar força e apoiar. Eu estava mais preocupado com o Leandro, até porque, ele não tem tanto tempo de cirurgia, e para ele, eu sabia que esse seria o maior desafio da vida dele.

Depois de 70% do percurso feito, acabei me unindo ao pelotão do meio, que foi formado pela Mel, Vivi, Gabrielle e Luana, acabei perdendo de vista, e contato com o pessoal de trás, que estava sob a orientação do Marcos Henrique. Quando nos aproximamos do Abrigo n.º 4, que fica praticamente no topo da Pedra do Sino, avistamos o Tulio Bambino, a locomotiva em pessoa, ele estava na sua tocada a passos largos em direção ao Sino.
Nós do grupo intermediário, resolvemos parar no abrigo n.º 4 para recuperar o fôlego. Naquele momento, o meu cronômetro, já marcava ali umas 4 horas e meia de subida, e a minha cabeça não saia do pelotão de trás, cheguei até descer um pouco a trilha, para ver se achava algum deles, mas não havia nem sinal da turma.

Depois de repor as energias, partimos em direção ao Sino, e no meio da subida encontramos novamente com o Tulio, ele já estava batendo em retirada, chegou a perguntar pelo restante do pessoal, mas eu disse que havia perdido o contato também. Continuamos subindo, e quando estava quase lá no topo, olhei para trás e avistei bem de longe a turma de trás. Minha alegria foi imensa, fiquei eufórico e vibrante, pois o pessoal não havia desistido, e esta era a minha maior preocupação. Continuamos subindo e o frio aumentando, e quando chegamos lá, depois de 15 minutos aproximadamente, eles chegaram, cansados, mas ao mesmo tempo eufóricos e realizados. Depois sentamos e batemos bastante papo, até fiquei sabendo que a Flávia, namorada do Leandro, ficou incentivando ele o tempo todo, que bom que ele não desistiu! Eu pensei...

Depois de estar lá no topo da Pedra do Sino, bateu outra preocupação, nosso grupo teve que se dividir novamente, é que nós estávamos tão encantados com o lugar, que decidimos pernoitar, pois além de cansados, já estava tarde para descer, era certo de pegar escuridão no caminho de volta, e dormir lá , seria a única alternativa, ou a mais viável naquele momento. Mel e companhia decidiram descer, emprestei uma lanterna de cabeça, e elas partiram em retirada também.

Exploramos o lugar por mais de 2 horas, descansamos e ficamos conversando do grande feito, só que tínhamos que garantir o nosso pernoite, e infelizmente não estávamos preparados. O ruim de furar o cronograma, é que podemos passar por situações que não estamos esperando, e foi exatamente o que aconteceu, não estávamos preparados para dormir lá, mas infelizmente imprevistos acontecem, e nessas horas, temos que ter sempre um plano B, foi então que decidimos descer, e garantir o nosso lugar no Abrigo n.º4.

Chegamos lá no abrigo, e logo fizemos amizade, principalmente com o gestor, que atende pelo codinome Jesus, um cara gente boa e de personalidade tranquila, ele logo nos mostrou o lugar, e também nos deixou bem à vontade. A nossa maior dificuldade naquele momento, não era o cansaço, era com a alimentação, nós somos gastroplastizados, e temos uma rigorosa regra de ingestão de alimentos, tudo deve ser na hora certa, nossa dieta não pode ser quebrada, já que temos que ficar atentos com absorção de vitaminas e proteínas do nosso organismo. Nós tivemos que racionar os nossos alimentos até o dia seguinte, nós nos organizamos e nos dividimos nessa tarefa. Toda experiência você colhe um fruto positivo, nessas horas de dificuldade, é que o companheirismo fala mais alto, conseguimos nos virar muito bem com o restante dos nossos alimentos.

Depois veio outro pensamento, outra preocupação, principalmente no cair da noite, ou seja, o frio, os termômetros estavam em torno de 6° graus de noite, e com o vento, a sensação térmica era ainda maior, mas com os nossos casacos, anoraks e mais os cobertores do abrigo, conseguimos nos virar bem, antes de dormir fizemos uma espécie de “teste drive”.

No cair da noite, eu e Marcos Henrique, ficamos fora do abrigo, curtindo o frio e batendo papo, e fomos informados por um aventureiro de passagem, que havia outra trilha ali perto. Não deu outra, pegamos nossas lanternas de cabeça, e partimos pra lá. Nós descobrimos que esta trilha dava numa outra pedra, que fica paralela à Pedra do Sino, nós gastamos apenas 15 minutos até o topo dela. Chegando ao local, nós nos deparamos com um visual incrível, a cidade lá embaixo toda iluminada, todo o Rio de Janeiro, foi incrível, sensacional e magnífico.

No dia seguinte, ainda no frio intenso da madrugada, levantamos bem cedo, nós queríamos ver o nascer do sol. O Leandro ainda estava meio com preguiça, mas conseguimos convencê-lo a ir, e nós fomos para esta mesma pedra, uma trilha fácil, e ainda dava para ver o Sino ali lado, aquela pedra toda imponente e cheia de mistérios.

Depois de conferir o nascer do sol, que por sinal foi o mais espetacular de nossas vidas, resolvemos retornar para casa, nossa aventura estava completa, ou quase, pois ainda tinha a descida, e nossos pés já não eram mais os mesmos. Passamos no Abrigo n.º 4, arrumamos nossas mochilas e partimos em retirada, foram 4 horas e meia descendo, como previ, nossos pés ficaram meio calejados, as pernas doloridas, mas nada que tirasse a nossa satisfação por ter realizado um sonho, de ter feito esta grande proeza em nossas vidas. Posso dizer que nos tempos da obesidade, eu teria até coragem de fazer tal aventura, resta saber se teria fôlego. Mas felizmente nos dias atuais, a minha condição e a dos meus amigos é outra, e no que tange ao limite para as nossas aventuras, eu diria que o céu a partir de agora é que será o limite.

Eu me chamo Luis Henrique Marques, sou um homem de grandes mudanças, de transformações físicas e emocionais. Sou um homem de estômago pequeno, mas de sentimentos infinitamente grandes.

2 de agosto de 2010

Parte 39 - Um bote com menos 250Kg









Pois é, tempos atrás, talvez esse mesmo bote, poderia ter ficado pelo meio do caminho. Engraçado pensar nessas coisas agora, mas está aí a prova, que quando se junta vontade e determinação, todos nós somos capazes.


Estou muito feliz com este resultado, e principalmente, porque ao meu lado, eu tenho pessoas que passaram pelo mesmo problema, e estão se superando também.


Agradeço aqui no blog, publicamente, aos meus amigos "gastro", Marcos, Vani, Leandro, Maria Helena e Kriss, que se empanharam bastante comigo, nas corredeiras mais radicais do Rio de Janeiro.

Parabéns a todos, e que sirvam de exemplo sempre! Estou muito orgulhoso de todos vocês!


Abraços
LH Marques

28 de julho de 2010

Benefícios que as atividades físicas podem trazer.

Os benefícios são muitos, no tratamento da obesidade, as atividades físicas sempre serão um grande aliado, pois elas estão ligadas diretamente ao processo de emagrecimento, torna-se essencial realizar alguma atividade, seja aeróbica ou mesmo anaeróbica.

Podemos dividir os benefícios em três esferas, ou seja, esfera fisiológica, psicológica e social. Dos benefícios fisiológicos, pode-se citar que em curto prazo, a atividade física permite estabilizar a quantidade de glicose no sangue, estimulando ao mesmo tempo as quantidades de adrenalina e noradrenalina e também proporcionando uma melhora no sono. Em longo prazo, provoca uma melhora na função cardiovascular, no tônus muscular, na flexibilidade, procurando preservar e restabelecer a mobilidade das articulações no equilíbrio, na coordenação motora e na velocidade do movimento.

Dos benefícios psicológicos, pode-se destacar em curto prazo, que proporciona ao indivíduo praticante um relaxamento e conseqüentemente uma diminuição do estresse e da ansiedade, auxiliando na melhora do humor dos indivíduos praticantes. Em longo prazo, provoca um bem estar geral, acarretando melhora na saúde mental e auxiliando inclusive no tratamento da depressão.

Dos benefícios sociais, em curto prazo, pode-se mencionar a socialização e a integração desses indivíduos a grupos sociais, e em longo prazo, por essa socialização a formação de novas amizades e companheirismos, além da ampliação das relações sociais. Analisando as três esferas citadas, verifica-se que a obesidade, causa justamente o efeito inverso.

Quando se está obeso mórbido, muitas vezes, é difícil fazer exercícios físicos, pois as articulações podem estar comprometidas, por causa do excesso de peso. A obesidade causa um ciclo vicioso, ou seja, como perder peso, se os exercícios podem “comprometer” a saúde do indivíduo também? Por isso que o estimulo da cirurgia, torna-se importante neste momento, pois a redução de peso no início é bastante significativa, e colocará o indivíduo numa condição melhor para a prática esportiva.

Obesidade Mórbida

A obesidade mórbida ocorre, quando o peso de uma pessoa ultrapassa, o valor 40 no índice de massa corporal gorda - (IMC). Para entender como se chega a este índice, basta pegar o peso e dividí-lo pela altura ao quadrado.

Fórmula: IMC =peso / (altura)².

De acordo com o National Institutes of Health (NIH)" - Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, um aumento de 20% ou mais acima de seu peso corporal ideal significa que o excesso de peso tornou-se um risco à saúde.

Os problemas causados pela obesidade são:

Desenvolver Diabetes Mellitus tipo II; Dislipidemias; DA [Doença Arterial, cuja mais comum é a Coronariana(DAC)], com risco de desenvolver para IAM(Infarto Agudo do Miocárdio), ou AVE(Acidente Vascular Encefálico) isquêmico; Trombose Venosa com isquemia e necrose pricipalmente de partes distais do corpo, como pés; Hipertensão Arterial; Problemas Articulares (Joelhos e Coluna Lombar); e Depressão.

O tratamento mais eficaz, e indicado nos últimos anos para a obesidade mórbida, é a gastroplastia, também conhecida como cirurgia bariátrica (do grego “ baris”,que quer dizer pesado , difícil e “iatrus” que é relativo ao médico).

A obesidade é um problema grave, e de difícil controle em praticamente todas as sociedades modernas. Muitas explicações, baseadas em um grande número de trabalhos científicos, são encontradas em uma vasta gama de publicações médicas, bem como em publicações leigas.

A origem genética vem sendo muito investigada e, de fato, parece ter papel relevante neste complexo mecanismo que resulta em última análise, na tendência e manutenção da obesidade. Entretanto uma pergunta ficará sem resposta, principalmente para os que viveram nos anos 60 e 70: onde estavam os obesos naqueles anos?

Mudamos nossa arquitetura genética nestes 30 anos? Definitivamente não. Mas o que houve então? Abaixo uma pista.

A Criação nos proporcionou o mais eficiente sistema de transformação energética conhecido: O sistema digestório, formado por um reservatório de grande capacidade (estômago), uma superfície altamente eficiente de absorção (intestino) e um conjunto acessório de processamento (fígado e pâncreas). Este sistema foi de importância fundamental no início de nossa caminhada neste planeta, quando precisávamos caçar para obter alimento, enchíamos o nosso reservatório até o máximo, para suportarmos um imprevisível intervalo de tempo até a próxima refeição. Com o passar dos anos, o desenvolvimento tecnológico paulatinamente nos permitiu organizar, cultivar, industrializar e armazenar alimentos, proporcionando alimentação de acordo com nossa vontade. No entanto o nosso sistema eficiente de absorção continuou inalterado. Some-se a isto a grande disponibilidade de alimentos extremamente calóricos nos últimos anos e ainda, transporte motorizado, sedentarismo, principalmente na infância e teremos a mistura de fatores que culminou nesta verdadeira epidemia de obesidade.

O conjunto de fatores citados acima, não exclui o fator genético de maneira alguma, inclusive porque, os nossos genes, necessitam da interação com fatores externos para sua expressão, isto é, quando seus genes determinam um conjunto de características anatômicas e funcionais que resultem em obesidade, será preciso a ação de um fator externo para interação (a comida). Nos países em que a fome é predominante, certamente existem indivíduos potencialmente obesos geneticamente falando, entretanto a impossibilidade de acesso à alimentação adequada impede a expressão da obesidade em seus organismos.

Até o presente momento, a cirurgia bariátrica é o único tratamento eficaz para a obesidade mórbida, sendo suas técnicas, puramente baseadas em adaptação digestiva. Atuamos na adaptação do reservatório (cirurgias de restrição gástrica) e da absorção (cirurgias de desvio intestinal), na tentativa de adequação do sistema digestório à nova realidade, obtendo assim o desejado resultado do emagrecimento.

DR. ANTONIO CLÁUDIO JAMEL COELHO.
CRM-RJ 52.45926-0.

21 de julho de 2010

Receitas: Faça a Ração Humana em casa.


A mistura tem 12 cereais integrais e foi criada pela terapeuta natural Lica Takagui, com aval do nutricionista Daniel Boarim. A ração ajuda a manter uma dieta equilibrada porque adiciona muitas fribras, vitaminas e outros nutrientes vitais para o organismo. A ração deve ser combinada com uma dieta sem excessos. Assim, ajuda no controle do colesterol ruim e reduz riscos de doenças cardiovasculares.

Para tomar de manhã:

2 xícs. de fibra de trigo
1 xíc. de extrato de soja
¹/² xíc. de açúcar mascavo
1 xíc. (chá) de aveia em flocos
¹/² xíc. de gergelim com casca
¹/² xíc. de gérmen de trigo
50 g de gelatina sem sabor
2 cols. (sopa) guaraná em pó
2 cols. (sopa) de levedo de cerveja
2 cols. (sopa) cacau em pó
¹/² xíc. de quinua em flocos

Para tomar a noite:

2 xícs. de fibra de trigo
1 xíc. de extrato de soja
¹/² xíc. de linhaça marrom (ou dourada)
10 cols. (sopa) de farinha de maracujá
1 xíc. (chá) de aveia em flocos
¹/² xíc. de gergelim com casca
¹/² xíc. de gérmen de trigo
50 g de gelatina sem sabor
2 cols. (sopa) de levedo de cerveja
¹/² xíc. de quinua em flocos

Como preparar a ração:

Misture todos os ingredientes a seco. As duas versões da ração humana, (matutina e noturna), devem ser guardadas na geladeira, em um pote de vidro bem fechado, para evitar o surgimento de fungos. Assim, a mistura pode durar até três meses.


Dica: A ração humana deve ser armazenada na geladeira, em um pote bem fechado e de preferência escuro, pois a luminosidade pode fazer com que os nutrientes da mistura se percam.

Obs. Procure consumir até 2 cols. (sopa) ao dia da ração, sempre acompanhando sucos, leites ou alimentos pastosos, como iogurtes ou frutas amassadas. Evite comer a ração com alimentos sólidos, (isso pode provocar gases).

O poder dos ingredientes da Ração Humana:

- Fibra de trigo - Combate a anemia;
- Extrato de soja - Ameniza os sintomas da menopausa;
- Farelo de aveia - Ajuda a reduzir o colesterol;
- Cacau em pó - Dá prazer e tira a vontade de comer doce;
- Aveia em flocos - Ideal para regular o intestino;
- Gergelim com casca - Reduz efeitos do estresse;
- Gérmen de trigo - Aumenta a imunidade do corpo;
- Gelatina sem sabor - Melhora a tonificação muscular e combate a flacidez;
- Guaraná em pó - Aumenta as defesas do sistema nervoso;
- Levedo de cerveja - Acelera o metabolismo e facilita o emagrecimento;
- Linhaça marrom - Reduz dores reumáticas, musculares e articulares;
- Açúcar mascavo - Dá mais energia para fazer exercícios físicos;
- Quinua em flocos - Serve para aumentar as fibras musculares;
- Farinha de maracujá - Atua no corpo bloqueando a absorção de gorduras.


*** Post reproduzido do blog http://bubydiet.blogspot.com/

12 de julho de 2010

Parte 38 - Conquistas para entrar na história.

Pico das Agulhas Negras



Fotos do Maciço das Prateleiras



As imagens mostram tudo, foi incrível, uma satisfação enorme superar mais uma vez os meus limites. Essas experiências de montanhismo, no qual tenho reunido não só pessoas que gostam de aventura, mas também ex-obesos, tem me deixado cada ves mais entusiasmado. Imagine só! Estive na maior montanhha do Rio de Janeiro, no Poco das Agulhas Negras, que é o sétimo do Brasil em altitude, e enfrentei - 3°C de frio! Estive também no Maciço das Prateleiras, que se não me engano, está inserido também, em um das maiores montanhas do Brasil

Senti muita fome, sede, cansaço e os efeitos da altitude, mas nada que uma boa dose de adrenalina não resolvesse.

Querem saber de uma coisa? Vale muito o esforço! Me sinto forte em poder fazer uma aventura dessas.

Viva la vida!

6 de julho de 2010

Parte 37 - O Churrasco.


No passado, participar de churrascos, era uma alegria, pois sempre havia fartura de comida e bebida. Atualmente, é raro eu promover churrascos, mas não deixo de particpar dos que eu sou convidado.

Falar de churrasco é uma coisa legal, não temos como fugir deles, pois festividades, geralmente, acompanham as guloseimas, e a famosa picanha, que nos tempos da obesidade, era o meu motivo principal de ir a um churrasco.

Atualmente, com a vida pós cirurgia, eu penso bem diferente, eu procuro pensar mais na parte social, que é fundamental em nossas vidas, e fator importante na parte psicológica. Eu não abandonei a minha vida social, pelo contrário, acho que ela melhorou muito depois do meu processo de reeducação alimentar.

O que eu faço agora, é dar mais enfoque justamente ao lado social, pois se eu sou convidado para um churrasco, eu tento agir como qualquer pessoa normal, faço a minha refeição e ponto final, eu não fico mais "beliscando" o tempo todo.

Por outro lado, temos que ter consciência, que a vida de um gastroplastizado será diferente para sempre. Em algumas festividades, não há como comer tudo o que aparece pela frente, a escolha dos alimentos mais saudáveis, é extremamente importante, vejam por exemplo o meu último final de semana. Eu fui num churrasco promovido pelo irmão da minha namorada, e dei preferência em comer a carne sem gordura, pois ela é importante para a absorção de ferro, e proteínas no meu organismo. Eu provei muito pouco da linguiça, e do pão de alho, pois não acrescentam muita coisa ao nosso organismo.

Portanto, se você for convidado para um churrasco, não tenha medo ou qualquer receio, basta você fazer o seu prato, sentar-se à mesa, fazer a sua refeição sem pressa e procurar não beliscar durante o churrasco, se conseguir fazer isso na boa, rola até uma sobremesa depois de meia hora.

Saudações.

1 de julho de 2010

Reportagem: A síndrome do fofão.


Quando as dobrinhas das crianças são perigosas.

Foi-se o tempo em que a aparência rechonchuda e as dobrinhas exageradas dos bebês despertavam simpatia e vendiam saúde. Nas últimas três décadas, a obesidade infantil triplicou no país, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria. Só entre 2003 e 2008, o número de crianças com menos de cinco anos com sobrepeso cresceu quase 50%, de acordo com dados do Ministério da Saúde. "Trata-se de uma tendência mundial, e o Brasil a está acompanhando. Se não forem tomadas medidas de saúde pública, a situação só vai piorar", afirma Roberto Costa, diretor-científico do Centro de Estudos Sanny e pesquisador da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

As medidas pedidas pelo especialista para enfrentar o problema começam dentro de casa. Os pais devem zelar pelo cardápio adequado. A má alimentação provoca não só problemas para o dia a dia das crianças como também pode antecipar em até 20 anos complicações de saúde da fase adulta. Os problemas mais comuns são dermatológicos, ortopédicos, respiratórios e principalmente cardiovasculares.


Segundo estudo citado pelo Manual de Obesidade na Infância e Adolescência da Sociedade Brasileira de Pediatria, até 60% das meninas que sofriam de sobrepeso entre os cinco e os 12 anos se tornaram mulheres obesas entre os 30 e os 39. Por isso, atualmente os especialistas lutam para que a dieta das crianças gordinhas sofra alterações, com o objetivo de evitar alterações metabólicas e reduzir o risco de doenças futuras. "O diagnóstico precoce e a participação da família nesse processo são fundamentais", afirma Roseli Sarni, presidente do departamento de nutrologia da Sociedade Brasileira da Pediatria.

Quando se preocupar.

O momento mais propício para que a criança adquira hábitos alimentares perigosos ocorre após os dois anos de idade, quando ela começa a compartilhar das refeições da família. "É na fase pré-escolar que a criança passa a ter mais autonomia, a andar, comer sozinha e a se interessar por novas coisas: então, ela passa a desenvolver a seletividade e a rejeitar alguns alimentos", lembra Mauro Fisberg, pediatra e nutrólogo da Unifesp. "Por isso, um bom modelo familiar é fundamental, pois ele vai determinar o padrão de alimentação da criança". Saiba como promover hábitos alimentares saudáveis nas crianças e também como o comportamento dos pais define a qualidade do cardápio delas.

Outro fator importante está ligado ao desenvolvimento. A partir dos dois anos, o ritmo de crescimento da criança diminui bastante. "Ela passa, então, a se alimentar em menor quantidade. As mães, no entanto, acham que ela não está crescendo adequadamente e passam a oferecer mais e mais alimentos", diz José Spolidoro, presidente da Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral e Enteral (SBNPE). Some-se a isso o fato de que é justamente nessa fase que o número de consultas ao pediatra diminui - uma vez que as doenças típicas dos dois primeiros anos desaparecem. Por isso, os especialistas recomendam duas visitas ao médico ao ano, para a prevenção da obesidade.

Do Sofá para a Nutrição.

Bolachas, salgadinhos e principalmente frituras faziam parte do cardápio de Camila Keiko - que passava os dias diante da TV ou do computador acompanhada das guloseimas. Não demorou muito para que os reflexos da dieta nada saudável aparecessem na vida da menina: os exames apontaram taxas elevadas de colesterol. "Ela comia diariamente tudo o que fazia mal à saúde: era uma fritura por refeição", lembra a dona de casa Mitsue Cozoba, mãe de Camila. (Confira o valor nutricional de itens do cardápio infantil e ainda a importância das vitaminas para as crianças)

Diante do problema, a menina teve de alterar completamente sua rotina. Trocou as tardes sedentárias pela natação, e passou a comer frituras só nos finais de semana. "A vaidade dela falou mais alto: a barriguinha saliente impedia que ela vestisse algumas roupas", conta Mitsue. Não foi fácil empreender a mudança até o fim. "No início, ela pensou em desistir. Aparecia chorando, pedindo uma bolacha. Eu comprava e deixava guardada, escondida. Quando a vontade dela era muito grande, eu dava um pedacinho e falava que faltava pouco para chegar o fim de semana", conta a mãe.


Mitsue passou a preparar carnes grelhadas e a escolher com mais cuidado os itens do lanche que Camila leva para a escola. "Por ser uma criança, eu não podia obrigá-la a fazer uma dieta radical, cortando tudo de que uma criança gosta", afirma.


Hoje, aos nove anos, Camila mede 1,38m e pesa 37,5 quilos - mesmo valor que ela apresentava aos seis anos. Segundo Márcia Sanae Kodaira, coordenadora do pronto atendimento infantil do Hospital Santa Catarina, graças à reeducação alimentar, a menina já saiu do limite da obesidade, passando para o do sobrepeso - situação significativamente melhor. "O importante daqui para a frente é seguir com uma dieta saudável", diz Kodaira.

Revista Veja

Todos os direitos são reservados.

26 de junho de 2010

Palestras gratuítas.

A Dra. Laura Ohana, endocrinolosgista infanto-juvenil, se propõe a palestrar em colégios, empresas, associações e condomínios, para divulgação da reeducação familiar alimentar, assim como, valores caloricos e outros do nosso dia-a-dia. A palestra é voltada também, para a importancia da atividade física, para crianças e adolescentes, para que possam crescer saudáveis, e sem passar pelo problema da obesidade.

Reuniões somente para os candidatos à cirurgia.

Interessados em conhecer a cirurgia bariátrica, isto é, quem pode fazer e não fazer, aspectos psicológicos e nutricionais, assim como a cirurgia plástica após a gastroplastia, podem entrar em contato no telefone abaixo, para agendar a participação nas reuniões interativas e gratuitas, sobre este assunto. A equipe é do Dr. Aurélio Bottino, especialista em cirurgia bariátrica, e que faz esse trabalho como se fosse uma espécie de curso. Vale lembrar que não se trata da reunião mensal, que é realizada com os pacientes. A equipe também forma grupos para consultas, com o psicólogo Dr. Rafael. Neste caso, é aberto a qualquer pessoa, seja gastroplastizada ou não.Interessados no assunto, basta enviar e-mail, ou ligar para o contato abaixo.

Ana Cristina Nogueira.
Comunicação e marketing.
Tel.: (21) 9514 - 0821.
e-mail:
anacristinamktcom@ig.com.br

25 de junho de 2010

Parte 36 - Eu tive um sonho?


Obesidade parece um fantasma, não é mesmo?

Vou contar aqui bem rapidinho, o sonho que tive esta semana.

Sonhei que estava dormindo no sofá da sala, e acabei acordando para ir ao banheiro. Eu estava sonolento, e não olhava ou enxergava direito minha aparência. Quando entrei no banheiro! Caramba! Que susto! Olhei para o espelho, e vi um rosto enorme, gordo e deformado! Acordei com o berro que eu dei, era um sonho, ou melhor, um pesadelo.

Sinceramente, nunca mais quero ser gordo na minha vida, nunca mais mesmo. Estou aqui, prestes a completar dois anos, da decisão que salvou e mudou a minha vida, e nunca mais quero ser lembrado como o gordinho engraçado da turma!

Eu tive um sonho! Ser magro,e e vivo este sonho intensamente, e digo para cada um de vocês de coração:

- Ser magro! É bom pra caramba!

Abraços.

26 de maio de 2010

Parte 35 - Retomada à terapia.

Durante um bom tempo resisti à terapia, sempre falei que estava em pleno equilíbrio, seja com minha nova vida, ou mesmo, com as mudanças que a gastroplastia me proporcionou. Mas parando para pensar, passamos por fases boas e ruins em nossas vidas, e recentemente, posso lhes afirmar, que andei confuso com algumas coisas e acontecimentos da minha vida.

Procurei a terapia por vários motivos, não foi apenas pela gastroplastia, procurei para tentar ser uma pessoa mais equilibrada, tentar expor para alguém de fora, o que ando sentindo, o que ando pensando da minha vida, e que rumo eu quero que ela tome. Por isso, achei que a terapia seria a melhor forma de buscar essas respostas.

Percebi que hoje em dia, a minha história de vida se misturou com a gastroplastia, é como se eu tivesse que passar por isso tudo, que eu estou vivendo atualmente, é como se já tivesse escrito, coisa do destino mesmo. Este universo de mudanças mexe muito comigo, me norteia, às vezes me confunde, enfim, são mudanças que tento absorver diariamente, e entender o significado de cada uma delas.

Voltando a falar de sentimentos, eu afirmo que sempre tive personalidade forte, sempre fui um cara de emoções, e descontava muitas vezes a tristeza, a ociosidade e a alegria, de uma única forma, ou seja, comendo. Hoje não há mais como fazer isso, a válvula de escape é outra, se tornou outra totalmente diferente da anterior, eu desconto escalando, correndo, ou fazendo qualquer coisa que eu tenha gasto calórico, e que resulte numa sensação incrível de bem estar, ao final de cada atividade.

Descobri que preciso melhorar muita coisa dentro de mim, que apesar do homem carinhoso que eu sou, posso ser também grosso algumas vezes.Procurei a terapia para entender essas coisas, pois não se trata só de gastroplastia, terapia é para a vida, para a vida toda! Eu quero muito ser feliz na minha vida, faço de tudo para vencer! Para vencer em todas as esferas e desafios da minha vida.

Espero muito encontrar na terapia, as respostas para cada um desses pontos tocados por mim.

20 de maio de 2010

Parte 34 - Primeira vitória nos tribunais.

Ano passado em uma de minhas postagens, comentei a respeito de uma conduta, nada agradável por parte de um "certo alguém", que foi meu chefe em outro ecritório que trabalhei.

Transcrevo aqui, parte da minha petição, para que vocês possam ter uma idéia.

" “A agressividade era tamanha que frases como “olha ai o Nhonho” (personagem obeso do seriado Chaves), “gordo faça isso”, “gordinho faça aquilo”, “vou pagar um spa para você gordinho” eram proferidas na presença dos colegas de trabalho e dos clientes em visita ao escritório de advocacia. Jamais o reclamante ouviu do superior hierárquico o seu próprio nome, pois “gordo”, “obeso”, ou mesmo outros apelidos que enfatizavam a sua condição de obeso eram utilizados quando o sócio majoritário solicitava a sua presença ou determinava a realização de serviços”.

Esta semana saiu a sentença em primeiro grau:

Julgo procedente o pedido, para indenizar o autor em XXX salários mínimos por danos morais.

Pois é, não importa o valor, importa que é uma vitória contra o preconceito, uma vitória para os obesos e ex-obesos, pois as pessoas merecem respeito acima de tudo. Provavelmente a outra parte recorrerá, mas até o momento, estou ganhando esta batalha.
Saudações.

7 de maio de 2010

Parte 33 - Roupas são conquistas também.


Não é novidade para ninguém, que eu curto muito uma corrida nos dias de hoje. Nos tempos de obesidade, eu procura me esforçar para caminhar e correr, até me recordo que uma vez, eu consegui correr 2 Kg com 130 Kg.

E como o mundo e a vida da voltas não é mesmo? Nos dias de hoje, se eu procuro praticar uma corrida longa, esses 2 Kg mencionados anteriormente, seriam apenas o aquecimento.

A corrida requer investimento, é necessário um bom calçado para evitar lesões, uma boa roupa e entre outros acessórios. O mercado fitness cresceu muito, investiu muito em running, a cada dia surgem novos produtos, e eu como antenado no assunto, há tempos namorava uma blusa, na verdade uma camisa especial de corrida, ela é de material dryfit, totalmente colada, da marca Nike, que possui uma linha de produtos chamada Nike Pro.

Esperei muito por isso, esperei muito por este momento, mas esperei muito mesmo, muitos n~qo fazem a menor idéia de como isto mexe com o nosso psicológico. Colocar uma roupa dessas é um sonho, é um sonho que eu nem acredito que está sendo realizado.

Voltando no tempo, eu me lembro que quanto maior a blusa, melhor seria a minha imagem, ou melhor, na verdade menos pior eu acho. Usar roupas que marcavam, nem pensar, eu achava ridículo, achava horrível a barriga sendo marcada pela roupa. Hoje não vejo mais esse problema, o que é a nossa imagem nova não é? Hoje eu adoro roupas coladas, justas, curtas etc.

Adoro usar roupas esportivas, e nada como estar em forma para usá-las e sentir bem. Eu diria até que ao escrever este post, estou com a síndrome da música do Ultraje a Rigor - Eu me amo, eu me amo, não posso mais viver sem mim...

Gostaria que cada um sentisse o que eu estou sentido neste momento, é o que eu sempre vou desejar aqueles que estão lutando contra a obesidade.

Saudações.

29 de abril de 2010

Parte 32 - O maior desafio da minha vida até hoje.

Olá pessoal!

Estou aqui para falar de conquistas, que aliás, é o nome que batizei minha equipe de Treeking, e para quem não sabe, é o esporte que sempre curti, mas que por limitações do peso, não podia curtir como eu gostaria. O Trekking também é conhecido como Enduro a pé de regularidade, andar no Mato ou caminhada Ecológica, e recentemente, ao lado de um grupo de amigos, inclusive alguns gastroplastizados como eu, resolvemos fazer um trekking profissional, fomos para o Parque Nacional da Serra dos Orgãos, subimos até a Pedra do Sino, que possui 2225 metros de altura.


Depois de tudo o que eu passei na minha vida, encarar uma caminhada de 5 horas, e chegar lá no pico estando com o fôlego em perfeitas condições, eu só posso agradecer por esta oportunidade que a gastroplastia me ofereceu, e sei que meus amigos de caminhada, também pensam desta forma. Foi incrível e sensacional, uma experiência para marcar para sempre as nossas vidas, e posso lhes garantir, foi a primeira de muitas que virão.


Quero dar os parabéns ao Marcos Henrique, Flávia, Leandro, Tulio (que não está na foto) e Juliana, que mostraram muita determinação. Ao Leandro então, os meus parabéns dobrado, para quem sequer ia na esquina a uns seis meses atrás, e derepente encara um trekking profissional desses, só posso dar os parabéns mesmo.

É isso pessoal! Só alegria de agora em diante! Graças a deus e aos meus médicos, o Dr. Claudio Jamel e companhia e à ciência, que descobriu como ajudar a resolver o problema de peso, por intermédio da Gastroplastia.

Abraços.

Luis Henrique Marques.

25 de abril de 2010

Reunião do Dr. Antonio Claudio Jamel.


Sempre estou lá para prestigiar o meu médico, e também para falar das minhas experiências após a cirurgia.

Local e data:
Dia 27/04 às 18 horas no Hospital Badim, que fica na Rua São Francisco Xavier, 390 - Rio de Janeiro - RJ, CEP.: 20550-013.
Tel.: (0xx)21 3978-6000‎.

A reunião é gratuíta!

20 de abril de 2010

Parte 31 - Vamos falar de um assunto delicado?

Pois é pessoal, nada de vergonha aqui, afinal de contas, aqui eu falo a verdade nua e crua. Vou tocar num assunto bem delicado, mas sem vergonha nenhuma, vou falar de pênis, mais especificamente o meu é claro!

Sem constrangimento algum, falo abertamente, que até nisto a cirurgia bariátrica trouxe benefícios. Após assistir uma belíssima apresentação da Dra. Beatriz Ohana , da equipe do Dr. Aurélio Bottino, foi veiculado de forma bastante séria, o quanto a obesidade atrapalha na sexualidade da pessoa.

Cresci a minha vida toda ouvindo chacotas, seja de conhecidos, colegas, e até de gente da própria família. Eu me recordo muito claramente de um episódio muito desagradável, na época eu tinha 11 ou 12 anos de idade eu acho, estava em plena puberdade, e uma tia minha que atende pelas iniciais MP, gostava e adorava fazer piadinhas sobre isso, parece até que o caráter da pessoa é medido pelo tamanho do pênis, pensava eu. Cresci ouvindo essas coisas, era muito constrangedor, tanto é que eu tinha complexo mesmo, sequer usava sunga para ir à praia, ou mesmo tirava a roupa na frente de desconhecidos, como numa academia por exemplo.

Observando a última palestra que assisti, ficou claro os problemas físicos e psicológicos que a obesidade causa no aspecto sexual. A obesidade causa infertilidade, impotência e outras doenças, e sinceramente, eu não pensava muito nisso não, pois confesso que eu não tinha muito conhecimento sobre o assunto, só me preocupava com evitar os constrangimentos, pois infelizmente a sociedade lhe cobra um pênis perfeito.
Felizmente a coisa mudou nesse sentido, a gordura que eu tinha na parte do púbis sumiu, e com isso, o aumento do pênis foi natural, pode ser engraçado para alguns ler isso aqui, mas é muito sério o assunto, eu tenho certeza que muitos irão se identificar com este assunto.

Como falei anteriormente, se diante do espelho muitas vezes não sabia quem era eu, agora posso lhes dizer também, que descobri um pouco mais da minha vida sexual.

Fazendo piada com o assunto, se antes já era "taradinho", imagine agora heim?
Saudações.

13 de abril de 2010

O Fui Obeso pede ajuda.



Um pedido de ajuda.


Com autorização da família (inclusive fotografia), venho aqui expor um problema, e pedir ajuda.

Esta é Maria da Conceição e ela tem obesidade mórbida, pesando atualmente 242 Kg. A família é bastante humilde e está buscando tratamentos que possam melhorar a qualidade de vida, tratando e aliviando as complicações decorrentes do sobrepeso. Atualmente ela vive em cima de uma cama muito debilitada, sem ter como sair de casa, e precisando de cuidados especiais. Ela precisa urgentemente de um tratamento médico específico, a família busca insistentemente este tratamento via rede pública, sem sucesso, há alguns anos.

Os contatos da família são:

Viviane (cunhada) - Cel: (21) 8665-3793 e Amanda (irmã) - Cel: (21) 7636-7100.

A Maria da Conceição está na fila do Hospital de Ipanema, só que é bastante morosa, e para uma pessoa que se encontra numa situação dessas, o tempo é um fator que torna-se importantíssimo.

Sem mais para o momento.

Atenciosamente.

Luis Henrique Marques.

15 de março de 2010

Para você perguntar ao seu médico.

1) Após a cirurgia, quais são as dificuldades mais encontradas?

2) A quem a cirurgia de redução de estômago é indicada? Há alguma restrição em relação à idade ou nível de obesidade?

3) Porque umas pessoas entalam e outras não?

4) Quais são os alimentos que mais apresentam dificuldade?

5) É verdade que a maioria das pessoas, após a gastroplastia, desenvolve uma intolerância total a carne?

6) Quanto tempo depois uma pessoa pode engravidar?

7) Pílula anticoncepcional, quanto tempo depois a mulher pode voltar a tomar?

8) Quanto tempo depois a pessoa pode fazer atividade física?

9) Quais os cuidados que devemos ter, para a ingestão de medicamentos via oral?

10) O que é a síndrome do dumping? Como posso evitá-la? Se sentir os sintomas, existe algum medicamento para cortar os efeitos?

11) Porque o método da cirurgia aberta (laparascopia), e não a por videolaparascopia?

12) É possível engordar depois de algum tempo?

13) Todo paciente é passível de cirurgia plástica? Depois de quanto tempo é recomendável a plástica?

14) Vesícula. Todos obesos devem removê-la? Caso positivo, quando?

15) Porque usar o anel? Qual a função dele e porque uns possuem e outros não?

16) Existe alguma variação hormonal, tanto nos homens, quantos nas mulheres após a cirurgia?

17) Que cuidados devo ter no pré- operatório?

18) Posso beber bebidas alcoólicas após a cirurgia?

19) Como fica o funcionamento do intestino após a cirurgia?

20) Os cabelos podem cair após a cirurgia?

14 de março de 2010

Part 29 - O primeiro documento magro.

Acho que depois de um tempo, todos nós passamos por uma certa crise de identidade. Muitas vezes, aliás, quase sempre, eu paro diante do espelho e me pergunto:

- Uau! Quem é você rapaz? Quem é você que estava ausente este tempo todo?

É justamente o que acontece, quando se perde mais de 60Kg, é incrível como suas feições mudam, como o seu corpo ganha forma. Às vezes fico até pensando, como eu seria magro na época dos vinte e poucos anos...

Mas gostaria de contar um episódio interesante.


Outro dia parei numa blitz, e o policial ficou olhando uns minutos para a minha habilitação. Fiquei pensando que ele ia me chamar a atenção por algo, já que ela estava para vencer. Mas o que aconteceu, foi mais um episódio do tipo "espanto", pois depois de um tempo pensando, ele concluiu que a pessoa que estava no volante, era a mesma pessoa da foto do documento.

Foi muito engraçado o que aconteceu, e eu tive que explicar com calma para o policial, pois sinceramente, nem me toquei que ele não estava acreditando que era eu ali. Eu esqueço muitas vezes que estou diferente, não da para ficar pensando em emagrecimento o tempo todo, a vida passa e você tem que vivê-la.

Mas enfim, estou me acostumando com essas reações, eu já até comentei algumas aqui anteriormente. Só que isto mexe muito com a nossa cabeça, é como se descobrir para o mundo, renascer ou até mesmo nascer, pois no meu caso, nunca me enxerguei magro diante do espelho, é pura novidade mesmo.

Eu penso que um dia isto vai acabar, acho que quando eu encontrar, ou conviver um pouco mais, com todas pessoas que conheci no passado, esta reação vai passar, pois assim como eu, as pessoas irão se acostumar como o meu novo visual e forma. Uma vez eu disse aqui, que a primeira calça número 40, ninguém esquece! Pois é! Agora eu digo que o primeiro documento magro, a gente nunca esquece!