30 de dezembro de 2011

Parte 57 - Balanço de 2011.

Olá pessoal!

Gostaria de falar um pouco deste ano que está se encerrando. Quanta coisa aconteceu, quanta coisa boa aconteceu. O próximo ano, com certeza promete e muito, espero poder realizar e concretizar projetos pessoais, e que só estão sendo possíveis, graças ao bom trabalho feito e minha dedicação em face aos cuidados tomados perante a minha vida nova.

O saldo foi super positivo, e mais do que nunca, pude comprovar o que eu já imaginava e havia comentado aqui mesmo no Fui Obeso, ou seja, não se pode cochilar e perder o foco, nunca! Em outras palavras, estou querendo dizer a vocês, que a cirurgia bariátrica pra mim, tem "prazo de validade".

Entre aspas mesmo, ok? A cirurgia não faz mágica, ela é um instrumento que nos permite reduzir o peso no primeiro ano rapidamente, isto é, para aqueles que se habituaram a uma nova rotina de vida e hábitos saudáveis. Depois de um certo tempo, o domínio total do controle de peso, passa a ser do paciente, é ele que determina como será a sua rotina de vida, seja para a sua alimentação, quanto para o gasto calórico.

E aí, é que mais uma vez, vamos bater na mesma tecla. Muitos tem preguiça de fazer exercícios, quando falamos em se movimentar, malhar etc... Podemos considerar toda atividade, em que o paciente colabore na redução de peso. Muitos reclamam que a balança na anda, ou seja, fase de estabilidade durante o processo, o que de uma certa forma é esperado e normal, mas desde que seja apenas por alguns curtos períodos, já que a estabilidade mesmo, será com o tempo, e após o paciente atingir o chamado peso ideal.

Eu escolhi estar bem comigo, e por mais que em algumas situações como um doce ou alguma coisa com gordura, procuro não exagerar, pois eu não só quero manter minha forma, mas como também não desejo mais retornar aos hábitos ruins.

O que vejo no universo da Gastroplastia, seja em reuniões, redes sociais e conversas, são muitas pessoas que ainda continuam com a mentalidade de gordo. Tudo bem! Eu sei que não é fácil se livrar assim, mas não tem jeito, tem que cortar o mal pela raiz, é como tirar a chupeta do bebê.

Neste ano de 2011, estou tirando várias lições, muitas delas com as experiências de colegas, pois a cada dia eu aprendo algo novo, me considero agora numa fase de maturidade, uma fase em que a experiência já chegou, onde eu é que sou o personagem principal, desta peça de teatro chamada Vida Nova.

De agora em diante, quero contribuir mais e mais, ajudar muitas pessoas, escrever meu livro depois de 5 anos nesta vida, me tornar um grande incentivador para muitos.

Desejo um feliz 2012 a todos os visitantes e colegas do Fui Obeso. Desejo um feliz 2012 também ao meu medico Dr. Antonio Claudio Jamel e equipe, a todos eles eu devo bastante os frutos que estou colhendo.

Feliz 2012!

Cordialmente.

Luis Henrique Marques.

Nenhum comentário:

Postar um comentário