28 de fevereiro de 2012

Parte 59: O que ando pensando e observando...



Olá pessoal!

Eu ando mais observador do que nunca, não sei explicar o motivo, mas talvez alguns hábitos novos, me levam a pensar um pouco mais, nas coisas que eu fazia no passado.

Eu nunca fui amante de biscoitos e guloseimas recheadas, mas sempre quando vou ao supermercado, fico olhando este corredor (fotografia) repleto de gôndolas entupidas de vários tipos de biscoitos, e com suas ofertas, que são mais calóricas do que propriamente o preço da mercadoria em si.

Assisti uma palestra de uma nutróloga, no qual foi veiculado este assunto, ou seja, a oferta calórica no mercado  ao alcance de todos. Se nós pararmos para pensar, num passado não tão longínquo, as únicas ofertas de biscoitos nas prateleiras, eram as de maisena e bolacha água. Lembram?

Hoje em dia é impressionante, nós temos uma infinidade de tipos de biscoitos, chega a ser bizarro o quantitativo de sabores, combinações e misturas de sabores. Ao meu ver, tudo com o intuito de mascarar uma triste realidade, isto é, a substituição de alimentos ricos nutricionalmente, por "alimentos" ricos em gorduras e glicose, e muito pobres no aspecto nutricional.

O que eu tenho observado, é justamente o aumento no consumo desses "alimentos", falo isto com base em dados estatísticos, e em conversas com vendedores e representantes do mercado e do ramo. Quando há um lançamento de um produto, e principalmente atrelado a personagens de desenho animado, já é um motivo para as industrias comemorarem aumento nas vendas.

Ao tirar esta fotografia, reparem a quantidade e variedade de produtos e marcas expostas! Quando eu estava no corredor do supermercado, tinha uma criança implorando a mãe para comprar um recheado desses. A criança era uma menina, e ainda está no processo de pré adolescência, começando a desenvolver um corpo feminino. Entretanto, a observação maior e mais importante, foi notar que a criança já era obesa, pois tinha dobras e mais dobras no abdômen.

Não achem lindo uma criança dessas, eu mesmo fui o bochechudo lindinho de muitos, mas ao chegar na adolescência, senti com mais ardência na pele, como era ruim ser obeso, já que quando criança. não fazia a menor ideia dos iminentes problemas que sofreria por causa da obesidade.

Prezados (as).

Não sou o dono da verdade, quem me dera pudesse ser o oráculo, mas os erros que cometemos, não podem ser transmitidos de geração para geração. A vida moderna trouxe muitos benefícios, mas também muitos malefícios e hábitos ruins.


3 comentários:

  1. Parabéns, concordo perfeitamente com vc, hoje estou ainda no pré-operatório e já observo bastante como as pessoas se comportam diante da comida, é necessário abrir os olhos para os excessos da gula, abraços.

    ResponderExcluir
  2. oi querido
    encontrei vc por aqui, achei seu blog interessante e estou te seguindo...
    quanto ao seu poster vc tem absoluta certeza, a cirurgia é uma ferramenta mas temos que fazer a nossa parte.....eu particularmente amuuuuuuuuuuuuuuuuu dces, cheguei a obesidade nao tanto por comer muito comida minha tentação sempre foi as guloseimas....nao consigo comer um pacote de uma vez como antes mas se deixar como o pacote todo num dia pq de pouko dando espaço de horas cabe bastante principalmente as besteiras....
    quando puder me segue e passa no meu blog vai ser um prazer trocar experiencias e pq nao fazer amizades?
    beijus e bom fim de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Não tinha visto sua mensagem. Obrigado pela atenção. Foi passar lá sim! Um beijo.

      Excluir